BLOG

18 de junho de 2021

ENDOFTALMITE

Endoftalmite é uma infecção dentro do globo ocular. Normalmente, o interior do olho é selado, ou seja, não é exposto a organismos externos, como bactérias ou fungos. Como os tecidos dentro do globo ocular são muito delicados, a endoftalmite é muito grave e pode levar à cegueira e até à perda do próprio olho. A parte externa do olho está em contato constante com vírus, fungos e bactérias e a infecção dessa parte do olho são a conjuntivite ou a ceratite.

COMO OCORRE A ENDOFTALMITE?

            Existem duas maneiras de se contrair endoftalmite. A endoftalmite exógena é a forma mais comum e ocorre após a penetração do globo ocular por trauma, cirurgia ou disseminação de uma infecção ocular externa. Está entre as complicações mais graves da cirurgia ocular. Por outro lado, a endoftalmite endógena ocorre quando organismos infecciosos invadem o interior do olho pela corrente sanguínea. Isso ocorre mais comumente em indivíduos muito doentes com certos tipos de infecções.

QUE TIPOS DE CIRURGIA OCULAR PODEM LEVAR À ENDOFTALMITE?

            Apesar da técnica estéril cuidadosa, qualquer cirurgia ocular pode levar à endoftalmite. A endoftalmite é mais comum (1 em 1000) após cirurgia intraocular, como catarata, transplante de córnea e cirurgia de glaucoma. Mas outros tipos de cirurgia, como a cirurgia do músculo ocular (cirurgia de estrabismo), também podem levar à endoftalmite. Felizmente, a endoftalmite após cirurgia do músculo ocular é muito rara (cerca de 1 em 30.000 casos).

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DE ENDOFTALMITE?      

            Os sintomas da endoftalmite incluem redução progressiva da visão, sensibilidade à luz, dor e inchaço ao redor dos olhos. Se houver perda de visão após cirurgia ocular, especialmente acompanhada de dor, um médico deve ser notificado imediatamente. A endoftalmite geralmente ocorre entre 2 e 5 dias após a cirurgia, mas algumas formas leves podem ocorrer semanas após a cirurgia. Pacientes que foram submetidos a um procedimento de filtragem para tratamento do glaucoma apresentam risco ao longo de toda vida de desenvolver endoftalmite.

COMO É DIAGNOSTICADA E TRATADA A ENDOFTALMITE?

            O diagnóstico imediato de endoftalmite é essencial. Além de um exame oftalmológico completo, a avaliação pode incluir ultrassom para melhor avaliar as estruturas internas do olho, como o vítreo e a retina, além da retirada de amostras do olho, através de uma agulha, para estudos microbiológicos para identificar organismos causadores da infecção. Dependendo da gravidade da infecção, o tratamento inclui a administração de antibióticos, antifúngicos e / ou antivirais, por via tópica, oral, intravenosa ou por injeção direta no olho. Às vezes, os esteroides também são usados. Se a infecção for grave, uma cirurgia chamada “vitrectomia” pode ser realizada para remover material infeccioso do interior do olho.

QUAL O PROGNÓSTICO DA ENDOFTALMITE?

            O prognóstico da endoftalmite varia muito, dependendo da causa da infecção, da gravidade e da quantidade de danos causados ​​ao olho por inflamação e cicatrizes. Casos leves de endoftalmite podem ter excelentes resultados visuais. Casos graves podem resultar não apenas na perda da visão, mas eventualmente na perda do olho.

Fonte: https://aapos.org/glossary/endophthalmitis